Sua carteira de investimentos está preparada para 2022?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Se 2021 foi um ano complicado para boa parte dos investidores, o ano que se inicia promete continuar trazendo muitos desafios no mercado financeiro.

Alta volatilidade dos ativos, cenário político e econômico incerto e situação fiscal deteriorada são apenas alguns dos temas que devem estar no radar em 2022, ano que também terá eleições presidenciais no Brasil – evento que historicamente traz muita oscilação para o mercado.

Neste ambiente, estar preparado para os solavancos e ter uma carteira de investimentos que garanta tranquilidade para passar incólume pelas quedas e consiga aproveitar ao máximo a alta dos ativos deve ser o objetivo de todo investidor.

É justamente com essa filosofia que a Convex trabalha, com objetivo de proteger o patrimônio dos assinantes e capturar as assimetrias do mercado a seu favor.

A casa de análises se baseia em uma exposição convexa, que consiste em diminuir as chances de perdas (e limitá-las), enquanto os ganhos potenciais se tornam mais prováveis e ilimitados.

A assertividade das recomendações pode ser observada pelos resultados obtidos, sempre muito acima da média do mercado.

Em 2021, o Portfólio Global registrou alta de 14,51% em dólares, enquanto o Global Hedge Funds Index (HFRXGL), índice usado como benchmark (referência) para os hedge funds, avançou apenas 3,69% (em US$).

Em reais, a performance do Portfólio Global ficou em +21,88%, enquanto a média de retorno dos Fundos Multimercados Investimento no Exterior foi de 5,85%.

Já o portfólio Visa acumula uma rentabilidade histórica (desde setembro de 2019) de 68,59% (em dólares) e 127,06% (em reais). Como base de comparação, o Ibovespa desvalorizou 25,26% (em US$) no mesmo período. Mesmo o S&P500, índice que renovou suas máximas históricas nos últimos meses, teve um retorno menor que o Visa, de 59,68%.

As recomendações de criptomoedas também se destacam com um retorno muito acima da média e uma volatilidade controlada. O relatório CFM (Cripto Fragility Model) rendeu 69,21% (em US$) no ano passado. Já a performance histórica, desde janeiro de 2018, é de +1323,35%, contra 198,75% do Bitcoin.

Richard Rytenband, economista e CEO da Convex Research, destaca que mais importante do que o retorno é a forma como ele foi obtido. “É o famoso retorno ajustado ao risco”, afirma.

Ele lembra que muitos investidores ignoram sinais de alerta e correm um sério risco de ruína, podendo ser “tirados do jogo” em caso de uma forte queda do mercado. Ao mesmo tempo, aqueles que conseguem entender o cenário base e investir da maneira correta, continuarão aproveitando oportunidades.

“Estamos fazendo as pessoas se protegerem para terem recursos e aproveitarem as oportunidades que estão mais à frente.  Acreditamos em uma mudança de patamar geracional”, diz o CEO da Convex.

Receba nossa

Newsletter

Novidades e informações importantes sobre a Convex

Relacionados

Preserve o Seu Patrimônio

Seja um Assinante Convex

Entre em contato para saber mais sobre nossas soluções e ferramentas para que você se torne um investidor global.